Ducati lança Panigale V4, Multistrada 1260 e Scrambler 1100

05/11/2017 11:11

A Ducati foi a primeira fabricante a apresentar os lançamentos para 2018, em um evento neste domingo (5) antecipando para a imprensa especializada o que será exibido durante a semana no Salão de Milão (EICMA). Três modelos são os destaques da marca italiana: a já antes anunciada Panigale V4, agora com especificações completas, a Multistrada 1260 (herda o motor maior da XDiavel) e a Scrambler 1100 (revive o motor a ar da Monster 1100).

Em sua forma definitiva, a V4 com tecnologia oriunda da MotoGP passa a ser a superbike topo de linha com 1.103cc que produzem 214 cv a 13.000 rpm (1,1 cv/kg). O diâmetro dos pistões de 81 mm é o mesmo máximo permitido no campeonato mundial, mas o curso foi elevado para melhorar a performance em baixos e médios regimes. O torque máximo é de 12,6 kgf.m a 10.000 rpm. Com escapamento de titânio Akrapovic para uso em circuitos fechados a potência do V4 alcança 226 cv. Nas versões S e Speciale a Panigale V4 recebe a segunda geração do sistema de suspensões Öhlins EC (estreou na Honda CBR 1000RR SP há um ano), cuja eletrônica refinada permite uma infinidade de ajustes específicos para cada situação de pilotagem. Outra novidade nos componentes está na estreia das pinças Brembo Stylema, substitutas das M50 70 gramas mais leves (cada) e melhor refrigeradas para manutenção do rendimento.       

A crossover Multistrada recebe uma nova versão do motor V2, na verdade herdada da XDiavel com 60cc a mais obtidos pelo aumento de curso dos pistões. O grande benefício é de torque, com curvas mais planas. Para a Multistrada o V2 de 1.262cc produz 158 cv a 9.750 rpm e 13,2 kgf.m a 7.500 rpm. A versão S mantém diferenciais semelhantes aos anteriores, como a suspensão de ajuste eletrônico, e adota um painel TFT de 5 polegadas com interface para conexão com celular.    

E a retrô Scrambler passa a ter um modelo 1100. Assim como ocorreu com a 800, a 1100 ressuscita um motor refrigerado a ar de 2 válvulas por cilindro já aposentado na Monster, ajustado para a norma Euro 4 e com prioridade para o torque: rende 86 cv a 7.500 rpm e 9 kgf.m a 4.750 rpm. O design da moto é basicamente o mesmo, mas é possível notar rapidamente o porte maior por conta do tanque para 15 litros (no lugar de 13,5 litros), pneu dianteiro mais largo (120 mm em vez de 110 mm) e do escapamento duplo. Do ponto de vista técnico a 1100 ganha três modos de pilotagem, controle de tração, cornering ABS, garfo invertido de 43 mm e freio duplo na dianteira. Na versão Special a cor é cinza, a capa do banco tem padrão com losangos, as rodas são raiadas e para-lamas e balança traseira de alumínio recebem acabamento polido. Na Sport a pintura é preta fosca, o garfo de 48 mm e o amortecedor são Öhlins ajustáveis, as pinças radiais, o guidão mais baixo e o assento recebe capa de suede.   

APLICATIVO



INSTAGRAM