Kawasaki lança a retrô Z900 RS no Brasil por R$ 48.990

Modelo revive a Z1 de 1972, primeira Kawasaki com motor de 4 cilindros e precursora da família de nakeds Z

07/06/2018 10:06

Na noite desta quinta-feira (7), durante a comemoração de dez anos da Kawasaki do Brasil, a marca apresentou os detalhes do lançamento da Z900 RS no país. A retrô é uma releitura da precursora da linha Z, a Z1 900 de 1972, partindo da base mecânica da naked esportiva Z900 já vendida localmente. O novo modelo estará nas concessionárias a partir de julho por R$ 48.990, rivalizando com a Triumph Bonneville T120 (R$ 47.990).

A Z1 foi projetada originalmente para superar a Honda CB 750 com o motor de 4 cilindros em linha de maior cilindrada e potência da época, primeiro a utilizar comando de válvulas duplo. E não só a arquitetura mecânica como também uma série de referências estéticas estão presentes na Z900 RS: o tanque esguio em forma de gota com o mesmo padrão de cores, as aletas de refrigeração no motor (agora refrigerado por líquido), a rabeta ao estilo “bico de pato”, os formatos do conjunto de iluminação e do painel com dois mostradores redondos, e até as rodas de liga leve desenhadas para remeter às clássicas rodas raiadas, sem que fosse necessário abrir mão do baixo peso. A posição de pilotagem com guidão mais alto e largo, pedaleiras instaladas mais à frente e baixas em relação ao banco, e este com formato plano são outros diferenciais da retrô sobre a naked esportiva. 

Interessante que a RS incorpora componentes de performance até superiores aos da Z900, como o garfo de suspensão dianteiro invertido que proporciona mais possibilidades de ajuste (10 de compressão, 12 de retorno e pré-carga de mola), as pinças de freio monobloco de montagem radial e o controle de tração. O motor é o 4 cilindros de 948 cm³ já conhecido, mas ajustado para melhor desempenho em baixas e médias rotações (111 cv a 8.500 rpm e 10 kgf.m a 6.500 rpm). A transmissão recebeu 1ª marcha mais curta para facilitar a saída, 6ª marcha mais longa para elevar o conforto em pilotagem rodoviária, uma relação final ligeiramente mais longa e a embreagem assistida deslizante também presente na Z900, que reduz o esforço aplicado à alavanca e evita o travamento da roda traseira causado por excesso de freio-motor nas reduções de marcha.  

O chassi em treliça tubular de aço foi redesenhado para acomodar o tanque de combustível mais estreito (17 litros) e oferecer uma experiência de pilotagem amigável. Comparada à postura agressiva e avançada da Z900, a Z900 RS teve a dianteira erguida e a traseira rebaixada em busca de uma linha lateral mais plana. A medida do trail foi diminuída para tornar a condução mais leve. Inicialmente a Z900 RS será vendida apenas com chassi e motor pintados de preto, cor predominante marrom metálico (aproxima-se de um tom vinho) e laterais do tanque em um laranja escuro, quase vermelho, seguindo o padrão original da Z1. 

 

©Copyright Duas Rodas. Para adquirir direitos de reprodução de conteúdo, textos e/ou imagens: marcelo@revistaduasrodas.com.br  

APLICATIVO



INSTAGRAM