Mini-moto Monkey volta como solução de transporte urbano

07/05/2018 03:05

Sucesso nos anos 1960/70, a Honda Monkey foi originalmente criada para uso infantil com motor de 49cc e rodas de 5 polegadas. Mas foram os adultos que se divertiram e a tornaram extremamente popular quando ela recebeu rodas maiores de 8” e o guidão dobrável que facilitava o transporte da mini-moto no porta-malas do carro, permitindo que fosse levada a pequenas excursões fora da cidade. 

Agora o conceito está de volta, a Honda decidiu recriar a Monkey no exterior como uma variação de estilo retrô depois do sucesso obtido com a urbana MSX 125 Grom. Nesta nova geração as rodas são de 12” como nos scooters atuais, porém com uma estrutura de moto em que se pilota “montado” com o assento entre as pernas, tanque à frente e pés apoiados em pedaleiras. Apesar do efeito visual  miniaturizado o banco está a 775 m do chão, como numa moto comum, ficando o entreeixos e o comprimento curtos (só cabe uma pessoa) responsáveis pelas medidas compactas de fato. 

Além da estética saudosista, outra característica que diferencia a Monkey da Grom é o estilo todo-terreno, com pneus de uso misto, para-lamas e escapamento elevados, e guidão alto. O motor de 1 cilindro horizontal refrigerado a ar é o mesmo usado no Brasil pela Biz (9,2 cv a 7.000 rpm e 1,1 kgf.m a 5.250 rpm), com câmbio de 4 marchas, capaz de percorrer 60 km/litro. Os toques de contemporaneidade ficam por conta do garfo invertido, do painel em display digital redondo e conjunto de iluminação por LEDs. 

Veja na galeria de fotos os detalhes do modelo 2018, a Monkey de 1970 e a ST-70 que foi importada pelo Brasil na mesma época, com outra nomenclatura e chassi estampado.

 

©Copyright Duas Rodas. Para adquirir direitos de reprodução de conteúdo, textos e/ou imagens: marcelo@revistaduasrodas.com.br    

APLICATIVO



INSTAGRAM