Testamos a nova trail BMW G310GS, que vem ao Brasil em 2018

30/09/2017 09:09

Por Ismael Baubeta, de Barcelona (Espanha)

Depois de lançar no Brasil a G310R, agora a BMW em versão trail G310GS chega à Europa e logo estará a caminho do nosso mercado. Estamos em Barcelona, na Espanha,  participando do lançamento mundial para rodar em primeira mão com a pequena GS e antecipar o que teremos dentro de alguns meses também no Brasil. Quem sabe já no Salão Duas Rodas, em novembro, ela possa ser vista de perto.

A BMW conseguiu replicar a identidade da GS nesta versão compacta, e a exemplo da G310R o cuidado com o acabamento é primoroso. Vendo pessoalmente o impacto visual é grande, apesar de ser compacta parece "parruda" e transmite impressão de robustez: o conjunto de abas no tanque, bagageiro na traseira e pneus com desenho dos sulcos ao estilo de big trail contrinuem para essa impressão. A ergonomia é excelente, com posição de pilotagem confortável até para meu 1,80 metro de altura, embora para pilotar de pé no off-road o guidão fique um pouco baixo, obrigando a baixar o tronco. O banco macio não deixou sinais de cansaço no roteiro de 250 km pela Catalunha.

As suspensões têm 180 mm com garfo de 41 mm de diâmetro e regulagem de pré-carga da mola no amortecedor. Passam a atuar com roda de aro dianteiro de 19 polegadas e pneus Metzeler Tourance, mesma família que equipa tantas big trail, mas em medidas 110/80-19 e 150/70-17. A ciclística é outro ponto positivo na moto, no asfalto contornou curvas de estradas sinuosas com desenvoltura e topou inclinações com ótima aderência para pneus de uso misto. Na terra garantem tração suficiente para o que o conjunto se propõe a fazer. E os freios assistidos por ABS podem ter o sistema antibloqueio facilmente desabilitado por um botão ao lado da manopla esquerda.

O motor é o mesmo já conhecido da G310R, 1 cilindro com 4 válvulas refrigerado por líquido que rende 34 cv a 9.500 rpm e 2,8 kgf.m a 7.500 rpm. Diria que se adequa até melhor à GS do que à R, porque numa trail entrega exatamente o comportamento que se espera dele: bom torque em baixas rotações, acentuado pela relação final ligeiramente encurtada, e nível de vibração dentro do esperado para um mono. Afinal a prioridade neste tipo de moto não é potência máxima e velocidade final.

O preço de 6 mil euros na Europa é o mesmo da Honda CB 500X, e 20% superior ao da G310R. No Brasil isso equivaleria a R$ 25.900.

APLICATIVO



INSTAGRAM