Quatro Rodas

Yamaha T-Max 530 chega em dezembro por R$ 42.500

Marca anuncia também a volta da V-Max, que terá 40 unidades comercializadas em 2014 por R$ 99.000

08/10/2013 12:06

Fotos: Divulgação e Mario Villaescusa

* Atualizado em 10/10/2013 às 17h02

A Yamaha confirmou nesta terça-feira (8) no Salão Duas Rodas, em São Paulo (SP), o lançamento do scooter T-Max 530, que chega em dezembro, importado, por R$ 42.500. A fabricante japonesa também tem outra novidade: a volta ao Brasil da tradicional V-Max, que terá somente 40 unidades comercializadas a partir de março por R$ 99.000.

O T-Max pendurado no estande da Yamaha no Salão Duas Rodas seria mais um entre os variados lançamentos da categoria, não fosse pela pintura usada pelo italiano Valentino Rossi na MotoGP. Tudo bem articulado pelo marketing da marca, que na Europa sequer o classifica como scooter e divulga que Rossi o escolheu como meio de locomoção. A Yamaha trabalha a imagem do T-Max 530 como a de uma moto automática, ágil, estável e que permite ser conduzida esportivamente.

Não é só de imagem que vive o T-Max. A Yamaha decidiu tomar um caminho de fato mais esportivo ao projetá-lo para aproximar o comportamento do novo big scooter das motos. O conceito está presente desde o projeto do chassi em dupla trave de alumínio, uma construção mais comum em motos. Assim, o peso foi reduzido em comparação a outros scooters de alta cilindrada (geralmente usam chassi de aço, como o Suzuki Burgman 650, que pesa 52 kg a mais) e o centro de gravidade foi mantido baixo, com o motor centralizado na horizontal, tudo para melhorar o comportamento dinâmico.

O guidão mais baixo que na maioria dos scooters aproxima a posição de pilotagem das motos e o escapamento com ponteira esportiva produz um som encorpado ao se acelerar o motor de 2 cilindros em linha – com 4 válvulas por cilindro e refrigeração líquida, rende 46 cv de potência a 6.750 rpm e torque de 5,3 kgf.m a 5.250 rpm.        

V-Max e MT-09

A V-Max que chega ao Brasil em edição limitada tem um motor V4 com refrigeração líquida de 1.679cc, que gera até 200 cv a 9.000 rpm com torque máximo de 17,0 kgf.m a 6.500 rpm, pronta para recuperar os fãs desse modelo lançado em 1985 e que deixou de ser importado para o país já há alguns anos.

Outra moto que figura no estande da Yamaha é a radical naked MT-09, lançada na Europa no mês passado, com motor de 3 cilindros e 850cc que rende 106 cv e 8,4 kgf.m para um peso de 211 kg. Segundo a marca, ela ainda está “em estudo” para o mercado brasileiro.

XJ6 com ABS

A Yamaha também mostrou as novas XJ6, que ganham freios ABS. A naked XJ6N tem preço sugerido de R$ 31.520, enquanto a sport-touring XJ6F custará R$ 32.080 – as duas são cerca de R$ 3 mil mais caras do que as versões sem o dispositivo.

Entrevista          

Marcio Hegenberg, diretor comercial da Yamaha, falou a Duas Rodas no Salão sobre o lançamento da Fazer 150 e disse que a marca queria entrar “com o pé direito” nesse segmento. O executivo ainda comentou a chegada do T-Max 530 e a volta da V-Max. Veja o vídeo abaixo:

http://youtu.be/SH3Amh-Vq6Y

 

APLICATIVO



INSTAGRAM