Quatro Rodas

KTM inicia vendas no Brasil em dezembro com as topo de linha

Importadas 1290 Super Duke R, 1190 Adventure e RC8 R serão as primeiras; baixa cilindrada será montada em Manaus (AM) no primeiro semestre de 2015

04/06/2014 18:27

KTM e Dafra anunciaram na noite desta quarta-feira, em São Paulo (SP), os detalhes da operação conjunta para o retorno da marca austríaca ao país. A empresa brasileira será montadora e representante comercial, como já faz com a italiana MV Agusta, e começará a vender as “laranjas” importadas em dezembro. As escolhidas para estrearem a operação foram as topo de linha de três categorias: a naked Super Duke 1290 R, a big trail 1190 Adventure e a esportiva RC8 R. Ainda neste ano serão montadas as primeiras off-road em Manaus (AM).

Os modelos on-road de baixa cilindrada serão montados na fábrica da Dafra a partir do início do ano que vem, começando com a chegada da 390 Duke às lojas em abril, seguida da 200 Duke em maio e da esportiva RC 390 em outubro. “O posicionamento de preço do modelo de entrada será um pouco superior ao de Fazer, CB e da própria Next”, conta Sérgio Dias, diretor comercial da Dafra. “Com 26 cv ela é tão potente quanto uma 300, mas muito mais leve e equipada.” Durante o evento, os dirigentes da KTM sondaram os jornalistas sobre preços e sinalizaram que os valores devem ficar próximos de R$ 14 mil para a 200 e pouco acima de R$ 20 mil para a 390, esta já com ABS.

As primeiras praças a receberem concessionárias serão São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), uma capital a ser definida na região Sul e para a região Centro-Oeste, Brasília (DF) ou Goiânia (GO). Em abril de 2015, algumas concessionárias Dafra de outras praças passarão a contar com as duas bandeiras para vender também a linha de baixa cilindrada KTM. “Queremos tornar a KTM uma marca forte no Brasil, como já é no resto do mundo”, diz Paulo Alegria, diretor da KTM para a América do Sul. “Para isso vamos investir no esporte, que é nossa principal ferramenta de marketing, apoiando equipes na temporada 2015 e com times de fábrica no ano seguinte.”

Em 2013 a KTM conquistou 17 títulos mundiais e foi a marca europeia que mais vendeu no mundo. Hoje a Europa ainda absorve 50% das unidades comercializadas, os Estados Unidos 20% e o restante está distribuído na Ásia, África e América do Sul, os mercados que mais crescem em vendas. Neste último, já existem operações com linhas de montagem na Colômbia e Argentina, mas os austríacos esperam que o Brasil se torne o protagonista no continente.

Nas bancas: vale a pena esperar pelos lançamentos de Yamaha e KTM?

APLICATIVO



INSTAGRAM