Quatro Rodas

Longa Duração: Honda CB 500X mês 4

Depois de um pequeno susto, Ismael Baubeta foi atrás do protetor de manete, um acessório para dar mais segurança no dia a dia

20/01/2015 16:51

Texto: Ismael Baubeta  fotos: Mario Villaescusa

A coluna deste mês surgiu de um imprevisto, um susto que poderia terminar com outro desfecho. A CB é uma ótima motocicleta para o trânsito, apesar da aparência de moto grande passa com desenvoltura pelos corredores, acima da maioria dos espelhos retrovisores. Outro dia, em uma avenida movimentada de São Paulo, vindo para a redação, num descuido topei com o lado direito do guidão em um espelho: a infelicidade não foi maior porque a alavanca de freio, também atingida, parou no meu dedo vizinho (que dor!). Então não freou a moto o suficiente para desestabilizá-la.

Este incidente me fez pesquisar a oferta de acessórios para a CB, como os protetores de mãos. Sei que evitar o encontrão com um espelho é obrigação minha, mas caso ocorra um erro de cálculo, como nesse episódio, ou mesmo o descuido de outro motorista, uma barreira antes da alavanca pode segurar a onda. Foi um choque com a alavanca de freio na MotoGP, anos atrás, o responsável por disseminar o uso de outro tipo de protetor, o de manete, que hoje encontramos nas lojas de acessórios como alternativa aos protetores de mãos de estilo off-road.

Começamos a pesquisa pelas concessionárias Honda, que não têm acessórios originais desse tipo para o modelo. Há várias marcas e modelos de protetores de mãos no mercado (Circuit, Racetech, Pro Tork, Acerbis, Polisport...), que podem ou não ter alma de metal fechando toda a lateral. A origem está nas provas off-road, para evitar galhos e proteger as alavancas de quebra em caso de queda, o que comprometia a prova dos pilotos. Para nosso uso nas ruas, outra função é desviar o vento frio e proteger as mãos do frio. O preço do par varia de R$ 50 a R$ 250 e nos modelos fixados à extremidade do guidão podem ser necessárias adaptações.

Apesar do estilo aventureiro da CB 500X, preferi um modelo mais discreto, do tipo utilizado na MotoGP, que já resolveria a questão da alavanca. Existem opções de marcas menos famosas por a partir de R$ 250 até os Rizoma vendidos por R$ 490 (como a função é proteger o freio, fica a critério do dono comprar o segundo para equilibrar esteticamente). Para a instalação bastou retirar o peso do guidão e substituí-lo pelo novo que vem integrado ao protetor. Esteticamente ficou bonito, mas espero não precisar testá-lo na prática.

Km total da moto: 7.321

Longa Duração: Honda CB 500X mês 3

Nas bancas: teste com a Ducati Scrambler e dois comparativos

Curso de pilotagem: a primeira vez em uma pista

APLICATIVO



INSTAGRAM