Concessionária Harley de 90 anos restaura e vende clássicas

Loja familiar no interior dos Estados Unidos mantém viva a história da marca com restauração e venda de raridades

22/04/2020 11:04

A história centenária da Harley-Davidson tem uma grande aliada bem no centro dos Estados Unidos. Em Topeka, no estado do Kansas, a família Patterson se dedica à marca desde 1949. 

Naquele ano Henry Patterson, conhecido como “Pat”, comprou a loja Topeka Harley-Davidson do proprietário original, revendedor estabelecido desde o início do século 20. Com o passar das décadas e já na terceira geração da família à frente do negócio, as instalações cresceram e se transformaram em ponto de visita para amantes da marca.

Na construção de 1935 está a concessionária local, agora nonagenária, um museu e oficina de restauração. Interessante é que mais do que restaurar clássicas Harley-Davidson para clientes ou para o próprio museu, também são vendidos modelos raros minuciosamente recuperados pela equipe.

Os profissionais se dedicam às restaurações de outubro a março, quando as temperaturas ficam negativas em Topeka e a temporada de motociclismo local para – consequentemente, esfria também o movimento de vendas na concessionária.

Selecionamos aqui nove modelos clássicos que estão à venda na concessionária, que ilustram histórias interessantes da Harley-Davidson nos últimos 80 anos (clique nas imagens da galeria para ampliar)

XA Militar 1942

Apenas mil XA foram produzidas para as tropas americanas na 2ª Guerra Mundial. O sobrenome XA vem de “Experimental Army”, pois foram desenvolvidas com características especiais a pedido do exército. Na época a Harley fornecia a WLA com o tradicional motor V2, mas os comandantes ficaram interessados na confiabilidade e baixa manutenção das BMW usadas pelos inimigos alemães. Pediram uma moto com transmissão final por eixo cardã e motor boxer, que recebia mais refrigeração nos cilindros e por isso funcionava a temperaturas menores do que o V2. 

FL Panhead 1949

O modelo 1949 da FL representou uma grande evolução sobre o original de 1941, e por isso é especialmente desejado por entusiastas da marca. Recebeu o motor Panhead mais eficiente no lugar do Knucklehead, suspensão por garfo telescópico hidráulico substituindo o link com molas e tambor de freio maior. Em resumo, o modelo 1949 acelera e freia mais, além do ganho de estabilidade. 

Hummer 125 1956

De 1948 a 1966 a Harley fabricou modelos acessíveis com pequenos motores de 1 cilindro e 2 tempos. Eram herança de um projeto da DKW obtido da Alemanha como parte das reparações pela 2ª Guerra Mundial. A Hummer foi lançada em 1955 como modelo básico dessa família, e homenageava o revendedor Dean Hummer, de Omaha (Nebraska), líder nas vendas das 2 tempos.   

Servi-Car 1958

Trata-se de um triciclo para entregas em uso comercial. O eixo traseiro com rodas de carro abriga um compartimento de carga fechado e o acabamento é bem representativo da década de 1950, com pintura bicolor, cores vivas, pneus faixa branca e adornos cromados. A marca vende o “Trike” no mercado americano até hoje, com estrutura parecida, mas para viajantes que levam passageiro sobre o compartimento de carga traseiro.

XLH Sportster 1970

A Sportster (XL) é o modelo mais longevo da marca, em produção desde 1957. Sua proposta original é de apelo mais esportivo e ágil na linha H-D, aproximando-se de modelos europeus da época. A versão XLH anunciada era mais luxuosa, foi a primeira Sportster com partida elétrica. O ano de 1970 foi especial para o modelo por causa do recorde de velocidade estabelecido no deserto de sal de Bonneville e do lançamento da série televisiva “Then Came Bronson”, em que a moto também era estrela do show.

X90 1975

Os anos 1970 produziram grandes exceções na linha da marca, sob gestão do grupo empresarial AMF. A pequena X90 foi uma delas, uma mini-moto semelhante à Honda Monkey homologada para circular nas ruas com todos os itens obrigatórios (luzes, placa etc.). Foi fabricada por apenas três anos, sendo 1975 o último deles. Usava um motor de 2 tempos que funcionava com mistura de óleo à gasolina e tinha câmbio de 4 marchas. 

SS250 1976

A SS foi outra representante dos anos AMF, uma cruiser de baixa cilindrada para atingir novos consumidores. Era produzida pela italiana Aermacchi, solução encontrada pelos gestores para introduzir modelos mais acessíveis na linha rapidamente (e a menor custo). Em versão 125, a SS foi montada também em Manaus (AM) e vendida no Brasil. Esta unidade vinho na galeria de fotos é 0 km. 

MX 250 1978

Outra curiosa incursão da Harley por novos mercados, a MX foi uma tentativa de concorrer com as japonesas na década de 1970. Nessa época o cross despontava como esporte e as japonesas rapidamente supriram a demanda dessa tendência que se espalhou a partir da Califórnia. Vide a Honda CR 250 batizada de Elsinore nos Estados Unidos, onde ocorria uma das provas mais famosas da modalidade. A unidade laranja anunciada é 0 km e a Topeka H-D também tem à venda um protótipo de fábrica de 1975. 

XLCR Café Racer 1978 

Essa Sportster em versão café racer foi produzida por apenas três anos, de 1977 a 1979. Tinha carenagem ao redor do farol, tanque e para-lama traseiro redesenhados. A estética se assemelhava a modelos europeus da época, como a BMW R 90 S que venceu o campeonato de motovelocidade local AMA Superbike em 1976. 

 

©Copyright Duas Rodas. Reprodução proibida de textos e imagens, total ou parcial.          

 

APLICATIVO



INSTAGRAM