Kawasaki Z1: a história do modelo que inspirou a Z900 RS

Lançada em 1972, foi a primeira Kawasaki com 4 cilindros em linha. E agora é homenageada na nova retrô da marca

19/07/2018 03:07

No começo dos anos 1970 a Kawasaki começava a fazer seu nome mundialmente com a H1 500 Mach III e a H2 750 Mach IV. Dois modelos leves e de aceleração brutal equipados com motores 2 tempos de 3 cilindros. Mas os engenheiros da Kawasaki já trabalhavam numa nova plataforma de produtos 4 tempos de 4 cilindros. A primeira da série teria a maior cilindrada da época e o primeiro comando de válvulas duplo para superar a performance da Honda CB 750. 

Assim nasceu a Z1, primeira Kawasaki com esta nomenclatura até hoje usada pelas nakeds da marca. E que 45 anos depois receberia uma releitura batizada de Z900 RS. O objetivo da Kawasaki era iniciar a transição para os modelos de 4 tempos, mais fáceis de serem pilotados e mantidos – sem a necessidade de adicionar óleo à gasolina. O surgimento das primeiras regulamentações de emissões também indicava um cenário negativo para a tecnologia 2 tempos. 

Teste + vídeo: Leandro Mello avalia a Kawasaki Z900 RS

A Z1 de 900cc foi lançada em 1972 após um período de desenvolvimento que incluiu testes nos Estados Unidos com pilotos como Paul Smart. Superava as 750cc produzindo 82 cv e 7,5 kgf.m, era a moto mais rápida do mundo (podia ultrapassar 210 km/h). Câmbio de 5 marchas, freio a disco e partida elétrica também eram o melhor disponível naquele tempo.

O conjunto mecânico da Z1 foi muitas vezes classificado como confiável e até “superdimensionado” por especialistas. A taxa de compressão de apenas 8,5:1, quando concorrentes já estavam em 9:1, reduzia o estresse sobre componentes internos e facilitava a combustão de gasolina de qualquer qualidade nos diferentes mercados mundiais, sem que necessariamente tivesse de ser abastecida com gasolina especial de alta octanagem. Quando o motor da Z1 era preparado para uso esportivo tinha potencial para mais de 100 cv ainda com confiabilidade. 

Nos anos seguintes a família de motores de 4 cilindros cresceria com variações como Z750 e Z1000. A Z1300 inovaria entre as estradeiras com motor de 6 cilindros. E nos anos 1980 uma nova geração de motores de 4 cilindros com 16 válvulas manteria o recorde mundial de velocidade nas mãos da Kawasaki numa nova geração de motos carenadas batizada de Ninja. 

Ficha técnica 
Motor: 4 cilindros com comando duplo, 8 válvulas e refrigeração a ar    

Potência: 82 cv a 8.500 rpm 

Torque: 7,5 kgf.m a 7.000 rpm

Alimentação: 4 carburadores 

Câmbio: 5 marchas

Velocidade máxima: +210 km/h  

 

©Copyright Duas Rodas. Para adquirir direitos de reprodução de conteúdo, textos e/ou imagens: marcelo@revistaduasrodas.com.br

APLICATIVO



INSTAGRAM